Tratamentos

  • AIDS (SIDA)

    A AIDS – Sida é uma doença sexualmente transmissível causada pelo vírus HIV ( Vírus da Imunodeficiência Humana). O agravante desse vírus é que a sua ação é atacar o sistema imunológico do paciente, fazendo que as defesas do seu organismo sejam severamente atingidas.

    A contaminação da AIDS – Sida  acontece através do sangue, líquido seminal, sêmen e também nas secreções vaginais e do leite fazendo com que a mãe transmita o vírus para o bebê no ato da amamentação.

    É importante dizer que o HIV não é a mesma coisa que a AIDS- Sida. Existem muitos pacientes que são soros positivos, ou seja, tem HIV, mas que vivem muitos anos normalmente sem manifestar a AIDS e seus sintomas. No entanto, ainda podem transmitir o vírus para outras pessoas.

    O que é AIDS – Sida?

    A AIDS – Sida não tem cura, é uma doença crônica, considerada grave, pois afeta o sistema auto imune do paciente podendo levá-lo à morte se não tratada adequadamente.

    Quando uma pessoa tem AIDS, o seu sistema de defesas do organismo fica muito fraco, portanto, propenso adquirir inúmeras doenças, desde pequenas infecções como gripes e resfriados até patologias mais graves, como o câncer.

    As células destruídas pelo vírus são os linfócitos, é justamente fazendo a alteração de DNA dessa célula que o HIV realiza inúmeras cópias de si mesmo. Isso quer dizer que ele vai se multiplicar rompendo essas células com o objetivo de buscar outras para continuar a infecção.

    As doenças oportunistas que acometem um paciente com AIDS – Sida são a grande preocupação, pois algumas dessas doenças jamais afetariam uma pessoa com o sistema imunológico saudável.

    Os principais sintomas da AIDS Sida são:

    • Aumento dos linfonodos;
    • Calafrios;
    • Sudorese noturna;
    • Emagrecimento sem fazer dietas;
    • Febre alta, acima de 38 graus por várias semanas consecutivas;
    • Cansaço;
    • Visão turva;
    /

    Compartilhar no:

  • Candidíase Peniana

    A candidíase peniana ou ” micose no pênis” é uma doença comum que acomete homens de todas as idades, atinge principalmente os que estão com a imunidade baixa ou aqueles que não tenham feito a circuncisão.

    As principais causas da candidíase peniana é a diabetes, já que a doença afeta diretamente o sistema imunológico do indivíduo. No entanto, outras condições mais graves de saúde podem ser responsáveis pela aparição vírus, como é o caso do Lúpus e do vírus HIV.

    Fatores menos nocivos como o estresse, má alimentação,  excesso de açúcar na alimentação , uso de drogas, quimioterapia, uso frequente de antibióticos, corticóides e antidepressivos também são algumas das causas da candidíase peniana.

    O que é candidíase peniana?

    A candidíase peniana não se pega, ou seja, ela não é transmissível. A doença é resultado da ação de um fungo chamado ” Cândida Albicans” podendo atingir os órgãos genitais e a boca.

    Em casos graves, a candidíase peniana pode afetar órgãos internos e também o sistema nervoso central.

    Os principais sintomas da candidíase peniana são:

    • Corrimento branco, semelhante a leite coalhado;
    • Ardência ao urinar,
    • Cheiro forte;
    • Lesões no pênis;
    • Dores nas relações sexuais;
    • Surgimento de placas brancas na região genital;

    A candidíase peniana tem cura, geralmente todos os sintomas desaparecem após 2 semanas de tratamento.

    /

    Compartilhar no:

  • Doença de Peyronie

    Doença de Peyronie

    A doença de peyronie geralmente se manifesta com um tipo de fibrose no pênis, o fato é que essa condição pode deformar o órgão masculino e causar muitas dores, além de riscos de redução do pênis.

    Na maioria dos casos, a ereção não é comprometida, entretanto, a tortuosidade pode dificultar a penetração e prejudicar a vida sexual masculina.

    Existem alguns fatores que podem desencadear a doença de peyronie, entre os principais estão: Fraturas no pênis quando o mesmo está em posição ereta, traumas, doenças auto imunes, fibromatosas ou metabólicas.

    O que é a doença de peyronie?

    Ao contrário do que se pensa, é uma patologia bastante comum entre os homens de 40 a 65 anos, o pênis passa por um processo de deformação que pode inviabilizar as relações sexuais.

    A doença de peyronie é caracterizada pela presença de placas fibrosas que ficam localizadas na túnica albugínea dos corpos cavernosos. Geralmente as placas possuem posições e também tamanhos que podem variar, inclusive, dificultado a percepção por parte do paciente fazendo com que ele demore para buscar tratamento.

    No decorrer desse período, as placas podem aumentar e comprometer toda a túnica albugínea.

    Uma boa porcentagem dos homens podem sentir os primeiros sintomas da doença peyronie de forma aguda, notando muitas dores, especialmente durante as ereções. Em outros casos, é possível perceber as placas fibrosas palpáveis aliados com a deformidade do pênis.

    É preciso salientar, que para alguns homens esse processo é mais lento e a deformidade do pênis vai acontecendo de forma vagarosa. O problema pode evoluir para uma calcificação, em especial em pacientes diabéticos.

    As causas da calcificação na doença peyronie  não foram definidas, pode ocorrer de caráter hereditário ou devido a repetidos traumas no pênis durante as relações sexuais ou então aos micro traumas durante as ereções noturnas.

    Há bastante incidência da doença de peyronie em homens da mesma família, o problema é progressivo, por isso, existe a necessidade de buscar um tratamento o mais rápido possível.

    Como tratar a doença de peyronie?

    O primeiro passo do tratamento da doença de peyronie inclui o uso de medicações, especialmente na fase aguda da doença que pode durar até 18 meses.

    Os remédios utilizados no geral são anti-inflamatórios para a dor e outros medicamentos para barrar a deformidade do pênis.

    Já na fase crônica da doença peyronie que acontece pós fibrose e também da curvatura do órgão, é indicado a intervenção cirúrgica. O normal é que a patologia esteja devidamente estável há 6 ou 12 meses.

    No entanto, o processo cirúrgico da doença de peyronie só é indicado quando nenhum tratamento clínico surtiu efeito positivo e também quando existirem dificuldades nas relações sexuais mesmo após a estabilização da deformidade peniana.

    É importante salientar que a curvatura é baseada na diferença do pênis de ambos os lados. O procedimento de correção engloba 2 possibilidades que são:

    /

    Compartilhar no:

  • Padrão

    Gonorréia

    Gonorréia

    A gonorréia é uma doença sexualmente transmissível e contagiosa causada por uma bactéria chamada ” gonocco”.

    Normalmente, a gonorréia costuma se manifestar no aparelho urogenital, reto, olhos e traquéia. Lembrando que pode se desenvolver de forma diferente no homem e na mulher.

    É importante lembrar que a gonorréia pode ficar assintomática por um período, especialmente nas mulheres que dificilmente apresentam sintomas.

    O tempo de incubação é de aproximadamente de 2 a 10 dias. Infelizmente, se a doença não for detectada e tratada com antibioticoterapia as complicações podem evoluir para problemas mais graves como: Inflamações crônica na próstata, problemas cardíacos, hepatite e até mesmo infertilidade.

    O que é gonorréia?

    Uma das doenças sexualmente transmissíveis mais recorrentes em homens e  mulheres. De acordo com a OMS ( Organização Mundial da Saúde) cerca de 500 mil pessoas são contaminadas pela gonorréia todos os anos no Brasil, é um número bastante alarmante e que preocupa a saúde pública.

    A forma mais fácil de contágio é através de relações sexuais desprotegidas, todavia é importante citar que não é necessário a penetração para transmitir a gonorréia, pois o contato ocular ou oral também oferecem riscos.

    A bactéria causadora da gonorréia gosta de ambientes úmidos e quentes, por isso, a região íntima é seu habitat preferido para se proliferar.

    Os sintomas da gonorréia nem sempre estão presentes, infelizmente existem muitos pacientes infectados que não tem conhecimento. O problema é que a doença pode se agravar.

    Geralmente, os sintomas da gonorréia nos homens são:

    • Coceiras
    • Erupções
    • Ardência durante a micção
    • Corrimento uretral
    • Movimentos intestinais dolorosos
    • Hemorragias

    Os sintomas da gonorréia na mulher, quando ela possui são:

    • Dor durante a relação sexual
    • Ardência nas micções
    • Corrimento vaginal
    • Escapes de sangue entre as menstruações
    /

    Compartilhar no:

  • Hemospermia

    Hemospermia (Hematospermia)

    Hemospermia

    Hemospermia é uma condição caracterizada pela presença de sangue no sêmem. Geralmente, quando isso acontece é motivo de grande preocupação para os homens, entretanto, esse sintoma nem sempre representa algo grave.

    A maioria dos fatores causadores da hemospermia é benigna, todavia, o primeiro passo é a avaliação clínica e do histórico do paciente. As principais causas do problema em homens com menos de 40 anos pode ser uma infecção genital, enquanto que em homens mais velhos os motivos podem ter associação a cálculos de vias seminais, cistos ou pólipos nos dutos ejaculadores.

    A hemospermia é pouco relacionada ao câncer de próstata. Na maioria dos casos, essa condição não representa nada grave.

    O que é a hemospermia?

    Sangue no sêmem, comumente chamada de hemospermia. A condição nem sempre tem uma explicação objetiva, em muitos casos, simplesmente, não significam nada, pois não indicam nenhum tipo de doença.

    No entanto, deve ser investigada para eliminar possibilidades de quadros infecciosos, tuberculose, presença de pólipos ou cálculos.

    O que leva os pacientes até o consultório médico é a mudança de coloração do esperma, geralmente notada devido ao uso de preservativos. Entretanto, a hemospermia pode vir acompanhada de  dificuldades de urinar, ardência e aumento de micções.

    É fundamental relatar ao médico se tiver sintomas associados com a hemospermia.

    Na maioria dos casos, os homens se queixam da presença de mais de um episódio de hemospermia ao longo de semanas ou meses. Todavia, se ocorrer em mais de 10 ejaculações consecutivas, é importante fazer uma avaliação mais criteriosa a fim de descobrir as causas desencadeantes.

    /

    Compartilhar no:

  • HPV – Condiloma (Crista de Galo)

    HPV – Condiloma

    O HPV – condiloma também é conhecido como ” Crista de Galo”, se trata de uma doença sexualmente transmissível responsável por causar lesões nas genitais masculinas, mais propriamente na glande, prepúcio e uretra.

    Obviamente, não se trata de uma doença exclusivamente masculina, o HPV – condiloma também é muito comum em mulheres, as verrugas ficam localizadas na vulva, vagina, colo do útero, períneo e ânus.

    Estima-se que no Brasil, mais de 10 milhões de pessoas já foram infectadas pelo HPV – condiloma, especialmente os jovens que estão em plena atividade sexual.  Entre os sintomas mais comuns estão a coceira, porém, também pode apresentar sangramento e dor em alguns casos.

    O que é o HPV – Condiloma?

    O HPV – condiloma é uma infecção causada pelo papilomavírus humano se manifestando em formato de verrugas nas regiões íntimas. O aspecto das lesões é muito semelhante a uma ” couve-flor”, sendo facilmente diagnosticado através do exame clínico.

    Qualquer pessoa pode contrair o HPV – condiloma através de relações sexuais desprotegidas ou até mesmo contato íntimo, mesmo que não haja penetração. O fato é que o vírus pode se instalar no organismo e ficar incubado durante alguns meses.

    O HPV – condiloma se manifesta quando o sistema imunológico do paciente está fraco podendo ficar latente por mais de 15 anos, ou seja, pode demorar muitos anos para que o diagnóstico de alguma lesão maligna apareça.

    Como tratar o HPV – Condiloma?

    O primeiro passo é o diagnóstico do HPV – condiloma, ao perceber verrugas na região genital, é essencial buscar ajuda especializada onde serão feitos avaliação clínica e solicitado exames como: Peniscopia, colposcopia, biópsias, citologia e exame de DNA.

    Quando existe um número considerado pequeno de lesões, é possível tratar com aplicação de medicamentos no local.

    /

    Compartilhar no:

  • Prótese Articulável

    Prótese articulável

    A prótese articulável é um dos métodos para tratar a disfunção erétil, condição que pode afetar homens de todas idades em diferentes graus de ocorrência.

    Estima-se que mais de 150 milhões de homens sofrem com problema em todo mundo. Cerca de 50% dos homens acima de 50 anos possuem essa condição caracterizada pela incapacitada persistente de conseguir uma ereção suficiente para manter uma relação sexual.

    O uso da prótese articulável é apenas uma das soluções para reverter a disfunção erétil, pois geralmente a primeira linha de tratamento é medicamentosa feita com inibidores orais de fosfodiesterase. Posteriormente, outras medidas são aplicadas como o uso de drogas injetáveis ou dispositivos à vácuo.

    O que é a prótese articulável?

    A prótese articulável nada mais é do que um implante maleável que favorece a rigidez do pênis permitindo que o homem recupere a capacidade de ter relações sexuais com ejaculação e orgasmos normais.

    O tratamento devolve a qualidade de vida do paciente e da parceira. A prótese articulável é um modelo que se destaca porque é uma opção mais simples quando comparada com as próteses infláveis, além disso, conferem uma melhor rigidez para o pênis melhorando de uma forma significa a sensibilidade no ato sexual.

    De acordo com estudos realizados com homens que possuem a prótese articulável, cerca de 90% deles se dizem satisfeitos com os resultados promovidos pelo implante.

    Como é feita a implantação da prótese articulável?

    A implantação da prótese articulável é feita por meio de uma cirurgia simples, a anestesia é local, pois é realizada uma pequena incisão na base do pênis.

    O objetivo da colocação da prótese articulável é justamente substituir o sistema natural de enrijecimento do pênis pelo mecanismo artificial, desse modo, o homem passa a ter estímulos sexuais normais sem a necessidade de ingerir medicamentos.

     

    /

    Compartilhar no:

  • Prótese Inflável de dois volumes

    Prótese inflável de dois volumes

    A prótese inflável de dois volumes é uma forma de tratamento para disfunção erétil, entretanto, é preciso salientar que essa não é a primeira opção indicada pelo médico. Os pacientes são submetidos ao procedimento, somente depois de tentar outras alternativas menos invasivas.

    A disfunção erétil pode ter inúmeras causas, inclusive a orgânica que acomete homens de todas as idades, em especial os que passaram dos 50 anos. Diversos fatores podem causar o problema, entre eles: Doenças crônicas como a diabetes, doenças auto imunes e distúrbios hormonais graves.

    Com a prótese inflável de dois volumes o homem consegue retomar a atividade sexual e ganhar qualidade de vida. Por isso, mais de 90% se dizem bastante satisfeitos com esse método.

    O que é a prótese inflável de dois volumes?

    A prótese inflável de dois volumes é caracterizada por 2 cilindros de silicone biocompátivel infláveis que são conectados a um reservatório que fica localizado na bolsa escrotal.

    O reservatório é responsável por enviar o soro fisiológico para esses 2 cilindros, desse modo, é gerada a ereção.  Todo o mecanismo é feito por esse sistema fechado, pois o soro cumpre o papel dos fluídos corporais.

    A prótese inflável de dois volumes tem um sistema manual no sistema de ereção e também da flacidez do pênis. Todo esse mecanismo é feito através de pequeno dispositivo que é implantado na bolsa escrotal.

    Ou seja, para ter relações sexuais, o homem precisa acionar a prótese inflável de dois volumes nesse dispositivo, bem como para deixá-lo flácido após a relação sexual.

    O completo esvaziamento da prótese inflável de dois volumes é atingido com a flexão da prótese por cerca de 15 segundos, o processo é simples e rápido. Além disso, quando a prótese está desinflada, ela fica totalmente natural.

    /

    Compartilhar no:

  • Prótese Inflável de três volumes

    Prótese inflável de três volumes

    A prótese inflável de três volumes é um recurso bastante utilizado em casos de disfunção erétil. Após outros tratamentos não configurarem bons resultados, essa é uma das alternativas mais viáveis para restabelecer a vida sexual masculina.

    A disfunção erétil é caracterizada quando o homem não consegue manter uma ereção suficiente para ter uma relação sexual. Entre as causas mais comuns desse problema estão: Diabetes, neuropatias, doença de peyronie, uso abusivo de drogas para ereção, entre outros.

    A prótese inflável de três volumes é uma solução indicada em diversos casos de disfunção erétil, pois independe o fator que desencadeou o problema.

    O que é a prótese inflável de três volumes?

    A prótese inflável de três volumes é um dispositivo constituído por 2 cilindros infláveis que são acoplados em uma espécie de bomba e reservatório que fica localizado próximo no escroto.

    No reservatório, fica o soro fisiológico que deve preencher os cilindros para dar ereção. Todo esse mecanismo é manual, pois é o homem que deve manipular a prótese inflável de três volumes para inflar antes da relação e desinflar no final dela.

    O sistema da prótese inflável de três volumes é o mesmo do modelo de dois volumes, inclusive essa opção está sendo mais utilizada, pois o reservatório da versão de 3 volumes é muito mais discreto quando comparado com a de 2 volumes.

    Outro ponto de destaque na prótese inflável de três volumes é a excelente ereção conseguida, pois ela confere mais rigidez e de forma natural. Enquanto estiver  mole, ela fica praticamente imperceptível e também não é possível ser percebida ao toque no pênis.

    Como é feita  a implantação da prótese inflável de três volumes?

    O método que utiliza prótese inflável de três volumes para tratar disfunção erétil já é bastante comum no Brasil e no mundo. Desde a década de 70, o procedimento tem passado por inúmeros aperfeiçoamentos que permitem um alto índice de confiabilidade e segurança.

    Prótese Inflável de três volumesPrótese Inflável de 3 volumesPrótese Inflável de 3 volumes

    /

    Compartilhar no:

  • Prótese Maleável

    Prótese Maleável

    Prótese maleável

    A prótese maleável é indicada para pacientes que sofrem com disfunção erétil. Esse tipo de implante é muito utilizado há duas décadas, sendo que já foram desenvolvidos inúmeros modelos diferentes.

    Apesar de ser um excelente recurso para restaurar a vida sexual do paciente, a prótese maleável não é o único tratamento indicado. Antes de seguir para a colocação do implante, é recomendado realizar um tratamento medicamentoso, não apresentando melhoras, o médico pode indicar esse procedimento mais invasivo.

    A prótese maleável é fácil de ser colocada, tem um baixo índice de complicações e é uma opção financeiramente viável para muitos pacientes.

    O que é a prótese maleável?

    A prótese maleável é fabricada com silicone sólido totalmente moldável, além disso, ela possui uma espécie de liga metálica que funciona como uma memória fazendo com que o implante seja posicionado de acordo com o momento.

    Ela pode ser dobrada para baixo ou para os lados, conforme preferência do paciente, por isso, ela é chamada de ” maleável”. Esse recurso permite que o homem tenha melhor convívio social quando em repouso, somente quando em atividade sexual, ele poderá posicionar a prótese para frente ( em forma de ereção).

    Além dessas características, a prótese maleável se destaca pelo seu custo mais acessível quando comparadas com as próteses infláveis. Existem diversas marcas importadas, mas no Brasil já possuem fabricantes desse tipo de implante.

    Como é feita a implantação da prótese maleável?

    O procedimento cirúrgico da prótese maleável é realizado em ambiente hospital que pode ser em regime ambulatorial ou até com 1 dia de internação. A anestesia pode ser geral ou raquidiana com sedação.

    Prótese MaleávelPrótese Maleável

    /

    Compartilhar no:

  • Reposição Hormonal

    Reposição hormonal

    A reposição hormonal masculina é indicada para tratar os sintomas da andropausa. A maioria dos homens não sabem identificar quando essas mudanças acontecem no organismo, entretanto, o distúrbio hormonal pode iniciar à partir dos 40 anos de idade.

    Estudos mostram que cerca de 57% dos homens  nunca ouviram falar de andropausa, enquanto de 71% afirmam que desconhecem os sintomas e nem sabiam da necessidade de fazer reposição hormonal.

    Essa pesquisa realizada pela Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) entrevistou homens de grandes metrópoles, acima de 35 anos   metade deles, nunca procurou um urologista para avaliar a saúde.

    O que é a reposição hormonal?

    A desinformação pega de surpresa os homens na fase da andropausa, especialmente os que possuem a necessidade de fazer a reposição hormonal.

    A reposição hormonal é indicada somente para os homens acima de 40 anos que apresentam sintomas intensos que tragam desconforto. A andropausa é caracterizada pela baixa de testosterona, fator que pode causar irritabilidade, ganho de peso e especialmente, a redução da libido.

    O hormônio da testosterona já começa a cair à partir dos 30 anos de idade, entretanto, nessa faixa etária não há necessidade de fazer reposição hormonal com a testosterona sintética, isso porque pode ser muito prejudicial à saúde.

    A testosterona é uma hormônio anabólico secretado pelos testículos, as suas principais funções são:

    • Controlar a produção de espermas;
    • Regular a libido;
    • Fazer a manutenção da força e massa muscular;
    • Manter a densidade óssea;
    • Responsável pelo crescimento dos pêlos e cabelos;
    • Fazer a distribuição de gordura pelo corpo;

    A necessidade de fazer a reposição hormonal é avaliada pelo urologista que realiza exames de sangue que fazem a dosagem do hormônio.

    /

    Compartilhar no:

  • Reversão de Vasectomia

    Reversão de vasectomia

    A reversão de vasectomia é um procedimento que visa a recuperação da fertilidade masculina. A cirurgia também é chamada de “vasovasostomia” e é indicada para homens que se submeteram a vasectomia e desejam reverter o processo para ter filhos novamente.

    As chances de sucesso da reversão de vasectomia é dada por diversos fatores. Somente o urologista pode avaliar de forma individual se o procedimento pode ser bem sucedido. Geralmente, está muito interligado ao tempo que ocorreu a vasectomia e idade do paciente.

    Segundo a Sociedade Brasileira de Urologia, os homens que conseguem alcançar maiores taxas de sucesso com a reversão de vasectomia, são aqueles cujo o intervalo  entre os procedimentos é de no máximo 3 anos, sendo que quanto menor é o tempo, maiores são as chances.

    O que é reversão de vasectomia?

    Muitos homens estão fazendo vasectomia no Brasil e no mundo, o principal motivo é que ” eles não querem ter filhos”. No entanto, cerca de 2 a 6% se arrependem e querem fazer a reversão de vasectomia, talvez movidos por outros fatores, como a constituição de uma nova família.

    O fato é que o homem precisa ter o conhecimento de que nem sempre a reversão de vasectomia é possível, especialmente quando faz muitos anos que ocorreu o procedimento.

    Apesar da reversão de vasectomia ser mais bem sucedida em um período menor de 3 anos, existem muitos casos de sucesso, mesmo com grande intervalo de tempo.

     

    Reversão de Vasectomia

    /

    Compartilhar no:

  • Vasectomia

    Vasectomia

    A vasectomia é uma técnica de esterilização masculina destinada para homens que não desejam mais ter filhos. O procedimento é bastante simples de ser realizado desde que seja feito por especialistas preparados.

    Muitos casais tem optado pela vasectomia por ser um dos métodos mais eficientes para evitar filhos. Além disso, a recuperação do paciente leva apenas de 2 a 3 dias e o custo da cirurgia é relativamente baixo.

    A vasectomia é considerada um método definitivo, existem possibilidades de reversão, mas o procedimento é custoso e não possui 100% de garantia de sucesso. Por isso, é essencial que o homem tenha absoluta certeza da decisão.

    O que é a vasectomia?

    A técnica cirúrgica mais conhecida pelos homens para evitar filhos é chamada de vasectomia. O procedimento só pode ser realizado em homens com idade acima de 25 anos e com no mínimo 2 filhos vivos. Além disso, é necessário que ele tenha capacidade mental para a tomada de decisão.

    Para garantir que é uma decisão final do homem, são aguardados cerca de 70 dias entre a intenção de fazer a vasectomia e o ato cirúrgico de fato. Nesse meio tempo, é possível que o paciente avalie se essa realmente é a sua vontade.

    Entre os homens que realizam a vasectomia, somente uma margem de 2 a 6% optam pela reversão, o principal motivo dessa escolha é a constituição de uma nova família.

    A vasectomia não altera a libido masculina, quantidade de ejaculação e muito menos a capacidade de ereção. O único ponto modificado é a ausência da fertilidade para concepção.

    Como é feita a vasectomia?

    A vasectomia é um procedimento rápido, leva em média 1 hora e deve ser realizada por urologistas especializados. É feita uma anestesia local através de pequenas incisões nos ductos que levam os espermatozóides do epidídimo até a uretra, desse modo, a passagem dos espermatozóides para o sêmem no momento da ejaculação é impedida.

    /

    Compartilhar no: