Doença de Peyronie

A doença de peyronie geralmente se manifesta com um tipo de fibrose no pênis, o fato é que essa condição pode deformar o órgão masculino e causar muitas dores, além de riscos de redução do pênis.

Na maioria dos casos, a ereção não é comprometida, entretanto, a tortuosidade pode dificultar a penetração e prejudicar a vida sexual masculina.

Existem alguns fatores que podem desencadear a doença de peyronie, entre os principais estão: Fraturas no pênis quando o mesmo está em posição ereta, traumas, doenças auto imunes, fibromatosas ou metabólicas.

O que é a doença de peyronie?

Ao contrário do que se pensa, é uma patologia bastante comum entre os homens de 40 a 65 anos, o pênis passa por um processo de deformação que pode inviabilizar as relações sexuais.

A doença de peyronie é caracterizada pela presença de placas fibrosas que ficam localizadas na túnica albugínea dos corpos cavernosos. Geralmente as placas possuem posições e também tamanhos que podem variar, inclusive, dificultado a percepção por parte do paciente fazendo com que ele demore para buscar tratamento.

No decorrer desse período, as placas podem aumentar e comprometer toda a túnica albugínea.

Uma boa porcentagem dos homens podem sentir os primeiros sintomas da doença peyronie de forma aguda, notando muitas dores, especialmente durante as ereções. Em outros casos, é possível perceber as placas fibrosas palpáveis aliados com a deformidade do pênis.

É preciso salientar, que para alguns homens esse processo é mais lento e a deformidade do pênis vai acontecendo de forma vagarosa. O problema pode evoluir para uma calcificação, em especial em pacientes diabéticos.

As causas da calcificação na doença peyronie  não foram definidas, pode ocorrer de caráter hereditário ou devido a repetidos traumas no pênis durante as relações sexuais ou então aos micro traumas durante as ereções noturnas.

Há bastante incidência da doença de peyronie em homens da mesma família, o problema é progressivo, por isso, existe a necessidade de buscar um tratamento o mais rápido possível.

Como tratar a doença de peyronie?

O primeiro passo do tratamento da doença de peyronie inclui o uso de medicações, especialmente na fase aguda da doença que pode durar até 18 meses.

Os remédios utilizados no geral são anti-inflamatórios para a dor e outros medicamentos para barrar a deformidade do pênis.

Já na fase crônica da doença peyronie que acontece pós fibrose e também da curvatura do órgão, é indicado a intervenção cirúrgica. O normal é que a patologia esteja devidamente estável há 6 ou 12 meses.

No entanto, o processo cirúrgico da doença de peyronie só é indicado quando nenhum tratamento clínico surtiu efeito positivo e também quando existirem dificuldades nas relações sexuais mesmo após a estabilização da deformidade peniana.

É importante salientar que a curvatura é baseada na diferença do pênis de ambos os lados. O procedimento de correção engloba 2 possibilidades que são:

/

Compartilhar no:

Descrição

– Realizar o encurtamento de um dos lados que está mais longo ou a utilização de enxertos.

O método de encurtamento de um dos lados é chamado de ” plicatura”, só deve ser realizado em pacientes que possuem um pênis de tamanho adequado. Além disso, o resultado final vai depender da direção do grau de curvatura que o paciente apresente.

Esse é um procedimento menos invasivo e permite que o paciente retorne a atividade sexual gradualmente seguindo as orientações médicas para não lesionar o pênis.

Na doença de peyronie, o método de alongamento só deve ser utilizado quando o paciente está muito preocupado com o tamanho do pênis ou quando a curvatura esteja muito acentuada.

Nesse procedimento, as partes do pênis onde receberam incisões devem ser cobertas com tecidos.

Doença de Peyronie

Embora as terapias cirúrgicas sejam bastante consideradas para tratar a doença de peyronie, é preciso informar que o método de alongamento incide em mais riscos de causar a disfunção erétil do que o método de encurtamento.

 

Além disso, é preciso reiterar que a técnica de alongamento incide em uma abertura da túnica albugínea que cobre os cilindros que são responsáveis pela ereção. Ou seja, é um procedimento delicado e que exige a intervenção de um excelente especialista.

Pacientes com a doença de peyronie com disfunção erétil  possuem os mesmos benefícios funcionais e cosméticos com o implante de prótese quando comparados com pacientes que utilizam implante de prótese.

Homens que sofrem com a doença de peyronie podem perder a capacidade de ereção, portanto, não é possível excluir nenhuma forma de tratamento possível junto a especialistas capacitados.

 

 

 

 

Avaliações

Não há avaliações ainda.

Seja o primeiro a avaliar “Doença de Peyronie”

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *